Siga-me por Email

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

História da Indumentária - Antiguidade

Estandarte de Ur, detalhe.

Tabuleta do rei Ur-Niná de Lagash, 2494-65 a.C., Museu do Louvre.



Intendente Ebih-Il, ca. 2300 a.C, de frente e perfil, Museu do Louvre.



A indumentária na Mesopotâmia

Mesopotâmia: região situada entre os rios Eufrates e Tigre, onde se desenvolveram várias culturas no IV milênio a.C.

Principais civilizações na Mesopotâmia: Suméria, Assíria, Babilônia.

Mesopotâmia: clima quente e solo fértil. Considerada o berço das civilizações.

- Invenção da escrita cuneiforme pelos sumérios em 3.500 a.C.

Indumentária na Suméria:

  • Saiote de pele com pêlo animal (kaunakés). Característica: tufos de lã visíveis externamente na peça.
  • Conhecimento da tecelagem.
  • Indumentária: características ainda primitivas.
  • Base das roupas: pele animal ou tecido artesanal. Os tufos acabam se deslocando para as extremidades, transformando-se em franjas (servindo como adorno e acabamento para o tecido).
HOMENS: kaunakés mais curtos (às vezes até a panturrilha), algumas vezes com o torso nu.
MULHERES: trajes longos cobrindo o colo.
  • Os trajes que cobriam todo o corpo de ambos os sexos eram às vezes enrolados em todo o corpo. Mais tarde, estes trajes foram substituídos por uma túnica com mangas.
  • Tecidos mais usados: algodão (produzido na Mesopotâmia ou importado da Índia), lã e linho e, mais tarde, acesso à seda, vinda da China.
  • A suntuosidade das roupas e acessórios indica a posição de prestígio social de quem as usa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo, seu comentário é muito importante para nós. Entretanto, comentários ofensivos, inúteis ou simplesmente idiotas serão ignorados.